Assim como qualquer outra área de conhecimento, o branding também é influenciado pelos avanços tecnológicos. A transformação digital também está gerando consequências na gestão de marcas e na forma como elas criam o relacionamento com seus clientes.

Um exemplo disso é o e-branding. É por meio dele que as marcas estruturam a sua presença digital e planejam a forma como se relacionarão com seus clientes na internet. Ele é uma parte importante do marketing digital, que assim como o branding tradicional para o meio offline, determina a forma como uma marca é percebida no ambiente online.

Contudo, as evoluções do branding trazidas pelas tecnologias inovadoras presentes na transformação digital não param por aí. Outros métodos e técnicas ligados à gestão de marcas estão surgindo como tendência para um futuro bem próximo. Conheça-os!

Debranding centrado na qualidade do produto

O debranding vai na contramão de tudo que aprendemos sobre o status agregado a um produto ou serviço por meio da marca bem posicionada. Ao contrário, o debranding diz respeito à qualidade se sobrepondo ao status na geração de valor para o cliente.

Isso não significa abrir mão de uma identidade visual, uma voz, um posicionamento ou outros itens que fazem parte da gestão de marca, mas agregar a tudo isso à relevância que uma marca tem para as pessoas. Por exemplo, quais problemas do cliente ela resolve ou como elas tornam a vida de seus consumidores melhores?

Esse conceito caminha de mãos dadas com tendências tecnológicas, como o uso do Big Data para a retirada de insights que revelam as necessidades que precisam ser atendidas de um determinado público, de acordo com o comportamento mapeado.

Place branding baseado em locais

O place branding trata-se de um processo influenciado pelo dia a dia das pessoas que convivem em um determinado local. Ele busca entender o que um local tem de único e transforma essa essência no diferencial da marca.

Bairros, cidades, estados e até países inteiros podem se beneficiar do conceito de place branding para entender a própria vocação e explorar melhor suas fontes de riquezas, além de entregar uma experiência única às pessoas que o visitam ou vivem neles.

Gestão de marcas com foco nas pessoas

Já é possível pensar em marcas que vivem dentro das pessoas. Como a empresa sueca “Epicenter”, que implantou chips em seus colaboradores para liberação do uso de equipamentos, abertura de portas, controle de acesso e outras funções que personalizam a experiência do funcionário dentro da instituição.

A customização e o atendimento personalizado se tornaram as principais tendências no mercado de consumo. Quanto mais uma marca puder levar ao seu consumidor um produto ou experiência pensados exclusivamente para ele, mais próxima ela estará do sucesso.

Mais uma vez, os avanços tecnológicos são os principais aliados nessa missão, uma vez que nesse contexto, o uso de recursos como a inteligência artificial para aprender sobre as necessidades de cada cliente é uma ajuda essencial.

A melhor forma de se preparar para essa nova forma de gestão de marcas é investindo em tecnologias que permitam uma aproximação maior com cliente, capazes de gerar insights para que o consumidor faça parte da criação de produtos, serviços e do próprio posicionamento de uma marca. Concluindo: o branding do futuro é feito com a participação do consumidor.

E então, se animou com as expectativas para um novo branding? Quer ver mais assuntos como esse? Assine a nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Quer receber nossas novidades?

Cadastre-se para receber nossa newsletter.