Durante muitos anos, os estudiosos se empenharam em entender como as mensagens publicitárias impactavam os consumidores. O resultado desse trabalho foi o neuromarketing — estudo que se empenha em entender como as mensagens/estímulos são processadas pelo cérebro humano de forma inconsciente.

Ele se tornou um grande aliado para alavancar as vendas, pois, segundo uma pesquisa realizada na Universidade de Harvard, 95% das nossas decisões de compra são inconscientes. Nesse sentido, muitas empresas passaram a traçar estratégias baseadas no neuromarketing, para melhorar as vendas e fidelizar clientes.

Ficou curioso? Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!

O conceito de neuromarketing

Apesar do nome, o neuromarketing não significa estratégia de marketing. Também não se trata de estudo de mercado, caso você esteja se questionando sobre isso. Na verdade, o conceito diz respeito aos dados que podem ser usados como base para a criação de estratégias mais eficientes.

Ocorre que estudos de mercado e algumas pesquisas retratam as percepções dos consumidores sobre como eles acreditam que são influenciados. Já o neuromarketing emprega a neurociência e até exames, como, por exemplo, ressonância magnética, para identificar quais estímulos afetam determinadas partes do cérebro e como eles podem ser usados para impactar o comportamento de consumo.

De forma prática, o marketing usa os dados desse tipo de estudo, de diversas maneiras, para gerar gatilhos mentais e influenciar o consumidor. Algumas práticas comuns são: uso de cores, símbolos e até mensagens subliminares.

Dicas para colocar o neuromarketing em prática nas suas ações

Após ler a explicação do conceito, talvez você esteja se questionando: “Precisarei investir em estudos na área? Isso deve ser caro!”. A resposta é não! Você pode usar estudos de neuromarketing que já estão disponíveis no mercado.

Os mais relevantes, por exemplo, fizeram descobertas que já podem ser usadas nas suas estratégias de marketing. Confira algumas das descobertas!

Invista no estudo da psicologia das cores

O neuromarketing constatou que o uso das cores em campanhas tem um papel essencial para atingir o objetivo da estratégia. Acontece que cada cor gera um estímulo no nosso cérebro e, como consequência, uma emoção.

Estudos sobre a psicologia das cores podem ser encontrados facilmente na internet. Dessa forma, a dica é pesquisar sobre o assunto e produzir a campanha com cores que podem gerar os resultados que você deseja.

Use e abuse das imagens

Os projetos visuais são preferidos pelo público em geral. Isso ocorre porque eles podem entender a mensagem de forma mais rápida e clara. Dessa forma, a mensagem acaba influenciando com muito mais eficácia e rapidez. Não por acaso, redes sociais, como o Instagram, têm um poder de persuasão incrível.

Crie projetos com rostos

Temos que lidar em nosso cotidiano com pessoas correndo, estressadas e sem muito tempo para sociabilidade. Usar isso ao favor da campanha é uma ótima maneira de prender a atenção do consumidor. Como? Simples. Rostos de pessoas bonitas sorrindo e de bebês despertam a atenção de quem vive em um ambiente atarefado. Use isso a seu favor!

Para finalizar este texto, uma última dica: mantenha-se sempre atualizado com os novos estudos de neuromarketing. A maneira mais simples é assinar conteúdo de sites/revistas de marketing e, ao menos uma vez por mês, fazer algumas buscas sobre o assunto no Google.

Assine também nossa Newsletter e receba conteúdo exclusivos sobre o assunto.

quer saber das novidades?

assine nossa newsletter