Você já ouviu falar sobre economia colaborativa? Certamente já deve ter contribuído para essa tendência, mesmo sem saber.

Quando você empresta algo para um amigo, oferece uma carona ou cuida de crianças e animais para seus conhecidos, você toma atitudes semelhantes à de muitas empresas que estão aderindo ao conceito da economia colaborativa: emprestar e dividir no lugar de acumular.

Quer entender mais sobre esse assunto? Então continue a leitura e fique por dentro!

O que é a economia colaborativa?

A economia colaborativa é um modelo em que os serviços e bens são adquiridos de forma compartilhada.

Por exemplo, no lugar de ir em uma loja de materiais para construção e comprar uma chave de fenda, você pode alugar a ferramenta por algumas horas em um aplicativo específico.

Dessa forma, você tem a posse do objeto somente durante o tempo que precisar utilizar, e logo depois devolve para que outros usem ou aluguem. Esse modelo de economia surge como uma alternativa para o consumo atual, substituindo o acúmulo, sem alterar a qualidade de vida das pessoas.

Dois bons exemplos práticos para esse tema são o Airbnb e o Uber. Essas plataformas são formas alternativas de hospedagem e transporte, respectivamente, em que o usuário paga pelo serviço somente pelo tempo que usar.

Quais são os seus princípios?

Para que você entenda um pouco mais sobre o conceito da economia colaborativa, indicamos os seus principais pontos característicos. Confira:

Redistribuição de mercado

A redistribuição é o princípio de reutilizar, reciclar ou trocar para reduzir o consumo. Quando um objeto deixa de ser necessário, ele é transferido para outras pessoas que necessitam, como é feito em plataformas de vendas de usados e seminovos. Como, por exemplo, os serviços do site Enjoei, onde as pessoas podem criar suas lojas e vender objetos que não utilizam mais.

Diferente de sites maiores de compras, esse tipo de plataforma cria um ambiente mais pessoal, o que influencia nas vendas. As peças vendidas são redistribuídas para novos interessados com preços mais acessíveis.

Estilo de vida colaborativa

Estilo colaborativo é o modelo em que se desenvolve uma divisão de habilidades, serviços ou recursos para outras pessoas, como arrecadação de dinheiro para financiar projetos. Um exemplo interessante é o site brasileiro chamado Vakinha, voltado para ajudar as despesas de festas, medicações, operações e viagens.

Compartilhamento de serviços

Compartilhamento de serviços é quando o consumidor ou o empresário buscam solucionar seus problemas e necessidades por outros meios que não seja a compra, optando por compartilhamento ou aluguel dos produtos ou serviços. Por exemplo, sites onde pessoas revendem ou compartilham livros e textos que não utilizam mais.

Quais são suas principais vantagens?

A seguir, confira as principais vantagens de utilizar a economia compartilhada:

Menores custos

Esse tipo de economia ajuda na diminuição de gastos quando comparado com o modelo tradicional, onde a todo momento são produzidos materiais novos que não necessariamente vão ser utilizados.

Uma pesquisa realizada pela Folha de São Paulo comparou o orçamento de festas nos modelos colaborativo e tradicional e o resultado apontou que o orçamento do primeiro é 25% mais barato em relação com o segundo.

Economia sustentável

Além da questão de evitar grandes custos de produção, esse tipo de economia ainda possui benefícios para a sustentabilidade, pois permite o compartilhamento.

O compartilhamento é o meio ideal para lidar com produtos e recursos finitos do planeta, já que muitos deles não são renováveis. Compartilhando esses materiais, a produção em escala é diminuída e menos lixo é despejado no meio ambiente.

Acessibilidade de serviços

A colaboração entre consumidores e empresas acabam também por ampliar as opções de consumo do público, pois as pessoas passam a ter mais acesso à produtos que, no mercado normal, não estariam dentro dos seus orçamentos.

E para empresas, em geral, esse modelo pode ampliar o alcance, permitindo uma relação maior e mais próxima dos clientes, como também atraindo mais consumidores.

Agora, você conhece mais sobre a economia colaborativa e sobre os seus principais princípios e vantagens! Gostou do nosso artigo? Então, continue navegando e saiba o que é economia criativa e como está impactando os negócios!

Quer receber nossas novidades?

Cadastre-se para receber nossa newsletter.